Seja quem Deus quis que você fosse e você irá inflamar o mundo

Quando aconteceu o casamento do Príncipe William e da Catherine Middleton, fiquei encantada com a pregação do Arcebispo William Mikler na ocasião, mas nunca pensei que encontraria ela inteira em minhas andanças pela internet.

Porém dando uma navegada enquanto o Lucas trabalhava encontrei =) Então, em clima de dia dos namorados, segue abaixo a mensagem, traduzida pelo Danilo Fernandes do Blog Genizah.

Assim disse Santa Catarina de Siena, cujo dia o festivo se comemora hoje. O casamento deve ser o caminho no qual o homem e a mulher se ajudam mutualmente a ser aquilo que o Senhor planejou para cada um, na expressão mais profunda e verdadeira do ser.

Muitos vivem temerosos pelas perspectivas futuras deste nosso mundo, mas a mensagem desta celebração para o país e para além das nossas fronteiras é a correta. Este é um dia de alegria! E é muito bom que as pessoas de todos os continentes possam compartilhar da alegria destas celebrações, pois este é, como todos os casamentos deveriam ser, um dia de esperança.

De certo modo, todo o casamento é um casamento real, onde a noiva e o noivo, como rei e rainha da criação, constroem juntos uma nova vida, para que através deles, a vida possa fluir para o futuro.

William e Catherine, vocês escolheram se casar na presença de um Deus generoso que amou o mundo de tal maneira que Se deu a nós na pessoa de Jesus Cristo.

E, no Espírito deste Deus generoso, marido e mulher estão prontos a se darem um ao outro.

Nossa existência espiritual evolui à medida que o amor encontra seu centro para além de nós mesmos.

Relacionamentos baseados no compromisso e na fé abrem uma porta para o mistério da vida espiritual, na qual descobrimos o seguinte:

Quanto mais doamos de nós mesmos, mais enriquecemos a nossa alma, mais nos superamos em amor, mais nos tornamos nosso verdadeiro ser e a nossa beleza espiritual é revelada por inteiro.

No casamento, procuramos levar, um ao outro, a uma vida mais plena. Claro que é muito difícil se afastar do egocentrismo. Podemos até sonhar em fazer isto, mas este desejo jamais será atendido, sem que haja uma decisão solene, não importando quais sejam as dificuldades, estaremos comprometidos com o caminho do amor generoso.

Vocês tomaram a sua decisão hoje – “Eu aceito” – e, ao iniciar este novo relacionamento, vocês se alinharam com o que acreditamos ser o caminho pelo qual a vida evolui espiritualmente e que conduzirá a raça humana a um futuro fecundo. Nós contemplamos à frente um século repleto de promessas e também de ameaças. A humanidade confronta a questão do uso sábio do poder que nos foi dado através das descobertas do último século.

Que o nosso engajamento com as oportunidades do futuro não se traduzam meramente na busca por mais conhecimento, se não antes pelo aumento da sabedoria amorosa e a reverência pela vida, pelo planeta e pelo próximo.

O casamento transforma, na medida em que marido e mulher fazem do outro a sua obra prima. A transformação é possível, desde que refreemos as nossas ambições para mudar o nosso parceiro. Se o Espírito flui, não deve haver coerção; cada qual dá ao outro espaço e liberdade. Chaucer, o poeta londrino, resume isto precisamente em uma frase (1):

Quando a preponderância entra, o deus do amor logo Bate as suas asas e adeus, ele se foi.

Á medida em que a existência de Deus se desvanece de tantas vidas no Ocidente, assistimos, em contrapartida, o aumento das expectativas colocadas sobre as relações pessoais e destas serem capazes, sozinhas, de proporcionar felicidade e sentido à vida.

Isto é depositar um fardo muito grande sobre os ombros de nossos conjugues. Nós somos todos incompletos: Nós todos precisamos do amor que é segurança, em vez de opressão. Precisamos nos perdoar mutuamente para florescer.

Na medida em que nos movemos na direção de nosso parceiro no amor, seguindo o exemplo de Jesus Cristo, o Espírito Santo é vivificado em nós preenchendo nossas vidas com luz. Isso conduz a uma vida familiar oferecendo as melhores condições para próxima geração receber e trocar os presentes capazes de superar o medo e a divisão e nutrir o mundo vindouro do Espírito, cujos frutos são o amor e alegria e a paz.

Eu oro para que todos nós, aqui presentes, e os muitos milhões que estão nos assistindo hoje, compartilhando da alegria da nossa celebração, façam tudo ao seu alcance para apoiá-los e sustentá-los em sua nova vida. E peço a Deus que vos abençoe, neste caminho de vida que vocês escolheram. Caminho este, expresso na oração que ambos fizeram em preparação a este dia:

Deus, nosso pai, nós Lhe agradecemos por nossas famílias; pelo amor que partilhamos e pela alegria de nosso casamento. Mantenha na ordem de cada um de nossos dias, nossos olhos fixados naquilo que é verdadeiramente importante na vida e nos ajude a sermos generosos com o nosso tempo, amor e energia. Reforçados pela nossa União, ajuda-nos a servir e consolar aqueles que sofrem. A Isto Te pedimos, no Espírito de Jesus Cristo. Amém.

Fonte: Blog Genizah

Que Deus abençoe vcs, minha oração é para que cada um que nos visita e está a nossa volta possa ter a felicidade de um casamento abençoado em sua vida! Não há nada melhor!!

Com Carinho

Júlia

Anúncios

Como sei que ele é o homem da minha vida?

Este texto também foi escrito especialmente para o blog do meu amigo Felipe Mastrillo a pedido dele e estou publicando aqui também, esse semana ele está publicando uma série especial com diversos outros autores e vale a pena dar uma conferida lá http://mastrillo.blogspot.com/ . Parabéns pela iniciativa Felipe.

Quando recebi a incumbência de escrever esse post confesso que fiquei um pouco ressabiada, pois olho para o meu marido e ao mesmo tempo que o acho uma pessoa maravilhosa e perfeita pra mim, eu fico pensando: O que foi que me fez ter certeza que era com ele que eu queria passar o resto da minha vida?

Antes de chegar nessa parte vou contar um pouco de mim: apesar de ter casado cedo (ca sei com 19 anos e começamos a namorar quando eu tinha 16), eu não nasci na igreja e ele não foi meu primeiro namorado. Eu ia a igreja desde cedo com o meu pai (meus pais são separados), mas só resolvi ir por conta própria e me converti quando eu tinha 15 anos, antes disso, como dizem era um pé na igreja e um pé no mundo rsrs. Ficava com um menino aqui outro ali e devido minha experiência familiar não tinha o sonho de me casar.

Mas tudo mudou quando eu me converti, devido a problemas que eu estava passando numa conversa com uma amiga “crente” vi que o jeito que eu estava levando minha vida não ia me levar a lugar algum, e resolvi mudar de estratégia, ao ver como ela aparentava ser feliz, falei quem sabe eu não posso ser feliz também? E foi assim que dei meu primeiro passo rumo a Jesus.

Quando tinha mais ou menos um ano de igreja, meu pai resolveu mudar de igreja e ir para outra da mesma denominação mas mais perto de casa, no começo não gostei nada da idéia, mas não havia nada que eu pudesse fazer.

Lembro-me que em uma quarta feira fui conhecer a nova igreja com meu pai e quando cheguei lá deparei-me com um moço muito bonito e virei pro meu irmão (SIM pro meu irmão, a emoção era tanta que precisava falar para alguém!!) e disse: “Que moço bonitinho!” e durante o culto fiquei reparando nele e vi o quanto ele ajudava na igreja, ajudava as pessoas e etc. Mas devido ao meu passado, não queria me envolver com ninguém e guardei isso pra mim.

Com o tempo fui me enturmando na igreja e esse moço bonito era amigo de umas amigas minhas. Vira e mexe quando ele se aproximava enquanto eu conversava com elas eu dava um jeito de sair de perto, por que eu sempre falava pra Deus que apesar de achá-lo bonito e aparentemente ele ser uma boa pessoa eu não queria saber de menino nenhum.

Mas o tempo passou e um dia ele me botou na parede, disse que como eu não dava espaço para sermos amigos, que ele queria então ser meu namorado! Disse que também não podia ser assim, e começamos a conversar.

E aí vem a pergunta que não quer calar, como eu tive a certeza que era com ele que eu deveria casar?

Primeiro de tudo, acredito que para nós que somos cristãos o namoro não é uma fase de experiência para ver SE eu quero casar. Quando se começa a namorar já se deve ter na cabeça que a consequência do namoro É o casamento. E cristão não namora pra passar tempo, mas cristão namora com o alvo de casar.

Então antes de pensar em namorar, converse, não seja tímida como eu fui no começo, e seja amiga da pessoa, cúmplice, companheira e veja se essa recíproca é verdadeira, por que uma coisa que sempre digo é: antes de qualquer coisa o Lucas é meu melhor amigo, companheiro, com ele posso falar sobre tudo! Por que minha gente, pro resto da vida é muito tempo, não dá pra viver com uma pessoa sem poder 100% você com ela. E durante essa conversa estejam em oração, pedindo que Deus esteja a frente desse relacionamento a fim de que através dele vocês estejam cada dia mais perto Dele.

Pronto, já conversou e orou e viu que vocês combinam no modo de pensar e tudo mais, que ele é uma pessoa agradável com quem você gosta de estar, o que mais você deve prestar atenção?

Sem dúvida alguma é: Quem ou O que está em primeiro lugar na vida dele?
Sei que parece besteira eu falar isso, mas não é, por que via de regra a partir do momento que uma pessoa se diz cristã, Cristo deveria estar em primeiro lugar na vida dela. Mas infelizmente sabemos que não é assim, e só conseguimos ver quem está de fato em primeiro lugar através das atitudes da pessoa. E dependendo de quem ou que estiver em primeiro lugar isso pode ser um julgo desigual que ao invés do namorado te ajudar, e juntos vocês crescerem diante de Deus, vocês viveram em constante pé de guerra.

Ai alguém diz, ah meu namorado não é cristão mas com o tempo ele pode se converter… Olha dentre vários casos que já conheci e ouvi falar de casais que um era cristão e o outro não, sem dúvida alguma é excessão os casos em que o não se converte e “são felizes para sempre”, não estou falando que é impossível, mas é excessão. E quando isso não acontece, com o tempo a pessoa fica tão envolvida que o terminar o relacionamento já não é mais cogitado e com o tempo isso pode ser muito ruim, pois este julgo desigual vai estar presente na maneira como a pessoa trata o cônjuge, como encara as situações da vida e como pensa em educar os filhos.

Outro ponto que julgo importante é observar como a pessoa trata a você e aos outros. Pois a pessoa pode ser até cristão mas pode não ter maturidade para estar em relacionamentos, se a pessoa não sabe respeitar ao próximo (esse opróximo inclui a família), se colocar no lugar do outro, se envolver com a comunidade, ela pode até ter aceitado Jesus, mas com certeza não está preparado para aceitar o desafio de estar em um namoro sério pautado nos preceitos de Deus.

Uma coisa que acabei não mencionando antes mas que julgo muito importante é o respeito aos pais, hoje em dia é moderno ser dono do próprio nariz, fazer as coisas por conta própria e etc, mas não podemos ser como o mundo é, devemos respeitar nossos pais e principalmente nesse assunto colocá-los a par da situação, pedindo conselhos e observando qual a opinião deles, caso a resposta seja negativa, acho bom repensar, por que tenho em mente que quando ocorre o casamento, uma nova família nasce dentro de duas outras, e não uma nova família sai de uma das famílias ou sai das duas!! O desejo de Deus para nós é a união e não a separação.

Creio que outra opinião que devemos levar em consideração é a do pastor. Não acho que ele tenha o direito de mandar ou desmandar na vida dos membros, dizendo quem deve namorar com quem ou coisas assim, definitivamente autoritarismo não combina com cristianismo, mas o pastor muitas vezes tem uma perspectiva que nós não temos por estar observando a igreja de outro ângulo, então creio que sem dúvida é uma opinião que não podemos deixar de lado.

Para completar gostaria de deixar um conselho, não me lembro se foi antes de me casar ou logo que me casei, li um devocional na Bíblia da mulher que inclusive coloquei no blog, que fala sobre como deve ser um relacionamento, pois por mais que as pessoas se deem bem, sempre existiram diferenças, e o grande segredo sabe qual é? Os dois viverem um para o outro e os ambos para Deus, se ambos colocarem como alvo satisfazer as necessidades do outro, ambos sairam felizes, pois ambos estaram satisfeitos.

Bom, o post ficou comprido mas foi de coração, espero ter ajudado!! rs

Deus abençoe a todos

Com carinho

Júlia

Como sei se ela é a mulher da minha vida?

Já ouvi essa pergunta inúmeras vezes, nas suas mais diversas versões, “meu namoro é de Deus?”, “como posso ter certeza de que Deus está abençoando o meu relacionamento?” ou a melhor de todas “como saber se Fulana é a pessoa que Deus separou para mim?”.

Para essa última pergunta em especial eu tenho uma resposta mais exata: “A Fulana NÃO é a pessoa que Deus separou para você”. Calma eu explico, é muito comum, especialmente um cristão recém convertido, terem dúvidas a respeito de que se o que estão fazendo é da vontade de Deus ou não, até aí sem problemas, isso é bacana. Mas o x da questão é que temos que buscar maturidade cristã e ter uma consciência bíblica para aplicar no nosso dia a dia. A Bíblia é a expressão da vontade de Deus, conhecendo a Deus e Sua vontade temos que guiar nossas decisões baseadas nisso. Não precisamos ficar perguntando para Deus se devemos namorar Fulana ou Sicrana, ir para emprego X ou Y, usar camiseta branca ou verde rs. A ÚNICA pessoa que pode dizer se sua namorada é a mulher da sua vida é você mesmo, mas para isso posso dar alguns conselhos que podem te ajudar .

1 – Esqueça o que esse mundo ensina sobre namoro

Durante muito tempo e bem devagarzinho vão enfiando na nossa mente ideias que não tem nada a ver com a perspectiva do Reino. Não coloque o fator beleza em primeiro lugar na sua decisão, não precisa namorar uma baranga também, só estou dizendo para levar mais em consideração o como ela pensa e age do que a beleza.

Entenda que namoro é coisa séria, namoro visa casamento e uma vida em comunhão com a pessoa, o tempo todo deve se ter em mente que o objetivo é ver se você realmente quer construir uma família com ela. Não namore só para ter uma companhia muito menos beije por beijar, muitos não perceberam ainda mas esse comportamento está trazendo uma geração cada vez mais devastada emocionalmente que tem sério problemas em relações duradouras.

2 – Urubu não voa com pomba.

Essa é bem simples, não tente forçar o relacionamento para dar certo se você vê que não compartilham dos mesmos conceitos de vida e valores. Se as diferenças culturais são muito conflitantes o relacionamento só tende a desgastar com o tempo, se as diferenças entram no campo religioso então piorou por mais que ela seja bonitinha e boazinha se não compartilha da sua fé esqueça ou afunde com ela, simples assim.

3 – “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração” (Colossenses 3:15)

Esse versículo resume bem o que eu falei no começo do texto, antes de tudo, como cristão você deve absorver em seu coração a vontade de Deus e fazer dela o centro das suas decisões e tudo o que você fizer estará alinhado com a paz de Cristo ou seu coração irá te incomodar. Não é necessário ficar horas orando ou jejuando esperando uma resposta de Deus, ou jogar búzios gospel sei lá, lembre-se que Cristo disse que o Espírito habitaria os nossos corações. Se você julga que ainda não tem esse tipo de maturidade cristã talvez seja o caso de repensar se está mesmo na hora de começar um relacionamento.

O seu namoro tira sua paz? Você está muito inquieto e isso está te afastando de Deus? CUIDADO!

4 – Como é a relação com as famílias?

Se você tem a sorte de ter uma família estável (muitos não tem) e especialmente uma família guiada por Cristo, tire proveito dessa chance e escute seus pais, se sua família apóia seu namoro as coisas serão muito mais fáceis e terão com quem contar em momentos de dificuldade.

Outro ponto importante a se observar é como é a relação dela com a família dela, na casa dos outros normalmente nos comportamos bem melhor na própria casa é que mostramos quem somos de verdade rs, se ela não respeita os pais dificilmente irá te respeitar quando forem casados.

5 – Lembre-se da igreja.

Entenda por igreja o grupo de pessoas que você compartilha sua fé e você divide seus problemas, ok? Não estou falando da denominação a qual você frequenta. Lembre-se de sempre compartilhar com essas pessoas suas histórias de namoro e escute os conselhos de alguém mais experiente nesse meio (muitas vezes esse cara é o pastor hehe). Essa comunidade deve participar de suas alegrias e tristezas também, seria muito bom que eles se alegrassem no dia do seu casamento ao invés de chorar não é mesmo?

6 – Gran Finale

A melhor maneira de se ter 100% de certeza absoluta de que ela é e sempre será a mulher da sua vida é … seja o homem da vida dela. Se você seguiu todos os outros conselhos e encontrou uma mulher de Deus para sua vida, enquanto você mantiver o caráter de Deus no seu coração e você se dedicar a fazê-la feliz, ela será a mulher da sua vida.

Bom o texto saiu um pouquinho grande mas acho que resume os principais pontos, se você ainda não leu o post sobre sexo antes do casamento (clique aqui) eu também recomendo a leitura.

Que Deus abençoe
Lucas Lainetti

Este texto foi escrito especialmente para o blog do meu amigo Felipe Mastrillo a pedido dele e estou publicando aqui também, esse semana ele está publicando uma série especial com diversos outros autores e vale a pena dar uma conferida lá http://mastrillo.blogspot.com/ . Parabéns pela iniciativa Felipe.

Qual é o papel do homem e o da mulher no relacionamento? (Final)

Cuidadosa

Seu marido tem plena confiança nela e nunca lhe falta coisa alguma. (Provérbios 31:11)

Não receia a neve por seus familiares, pois todos eles vestem agasalhos. (Provérbios 31: 21)

Esposa não é servente, é um par do homem que está em igualdade e essa é uma das características do papel que mais revela isso. O marido tem confiança nela, ao contrário de uma serviçal, ele não precisa ficar toda hora dando instruções “faça isso, faça aquilo” ela sabe o que deve fazer para que tudo na família corra bem, antecede os problemas (neve) e já toma atitudes para que ninguém sofra com aquilo, ajuda a tomar decisões sobre o rumo da família alertando sobre as questões que devem ser consideradas.

Conclusão (finalmente rs)

Eu realmente não planejava me estender tanto nesse assunto rs, mas as palavras simplesmente começaram a fluir dessa maneira e ainda sinto que devo ter deixado algumas coisas de lado. Durante todo o tempo tentei deixar claro o equilíbrio que há entre o papel do homem e da mulher no relacionamento, não sendo um superior ao outro, somente diferentes. Porém hoje em dia muitas pessoas confundem o fato de alguém assumir certos papéis tradicionalmente de homem ou mulher com o ser homem ou mulher e são coisas completamente distintas.

Durante essa série dividi as coisas como “papel de homem” e “papel de mulher” para se tornar mais fácil a explicação como um todo e por essa diferenciação estar presente na mentalidade da maioria. Tradicionalmente falando se olharmos os casais bíblicos veremos que o homem faz o “papel de homem” e a mulher o “papel de mulher”, mas Deus deixou uma nota de rodapé dizendo que toda regra tem sua exceção rs. É o caso de Áquila e Priscila, este foi um casal que cruzou a vida de Paulo em vários pontos e pouco se fala sobre eles. Em sua primeira aparição nos relatos em Atos 18:2, Paulo relata: “Ali, encontrou um judeu chamado Áquila, natural do Ponto, que havia chegado recentemente da Itália com Priscila, sua mulher” e relata que a igreja se reúne na casa de “Áquila e Priscila” em Corinto (1 Coríntios 16:19), após isso todas as outras vezes (Romanos 16:3, Atos 18:18,19, 18:26, 2 Timóteo 4:19, 1 Coríntios 16:19) Paulo menciona “Priscila e Áquila”.

Qual a diferença? Era muito comum na época colocar nos textos escritos em primeiro lugar o nome do líder do grupo. Quanto Paulo encontrou o casal pela primeira vez presumiu que Áquila era o chefe da casa, mas logo em seguida notou que esse papel foi assumido por Priscila.

Não sei muito sobre a vida desse casal especificamente, mas pelos relatos parece que a dinâmica entre eles funcionava muito bem. O que dá para dizer disso é que Deus não vai por nenhuma maldição na vida de casais que resolveram distribuir os papéis de forma diferente, eu já vi alguns pastores até mesmo dizerem que Deus fica irado com a mulher que trabalha fora de casa. Isso é a mais pura mentira chauvinista.

O importante mesmo é dizer que existem papéis que precisam ser feitos pelo casal, Deus vê os dois como “uma só carne” lembram? Ele não faz diferenciação de quem faz o que. Mas é prejudicial à família se o casal compete para fazer o mesmo papel e deixa de lado os outros papéis igualmente importantes. Um casal que funciona bem é um casal que sabe fazer acordos entre si, quem faz o que, mas nenhuma atividade para construir a família deve ser deixada de lado. Se o homem já assumiu o papel de prover sustento pela casa e está lutando para ter uma carreira de sucesso afim de fazer isso melhor, não há nenhum problema a mulher também trabalhar, mas não faz o menor sentido se dedicar com tanto afinco à carreira e deixar de lado a educação dos filhos por exemplo. Hoje é muito comum o casal se dedicar totalmente à carreira e nunca passar tempo com os filhos, nem mesmo no final de semana pois estão muito cansados para fazer qualquer coisa, quando os filhos crescem, os pais são completamente estranhos para os filhos e os pais não fazem a melhor ideia de onde surgiram certos comportamentos.

Filhos não devem ser educados pelas babás, escolas e muito menos pela televisão, alguém tem que acompanhar os filhos “falar com sabedoria e ensinar com amor”, alguém deve dar suporte quando o outro se desvia ou se sente cansado, alguém tem que se focar em prover sustento para a casa e proteger os interesses da família.

O importante não é estabelecer o que alguém do sexo masculino deve fazer e alguém do sexo feminino deve fazer, cuidar dos filhos não vai fazer de um homem menos homem nem trabalhar vai fazer de uma mulher menos mulher, o importante é saber que existem coisas especificas que não devem ser deixadas de lado, o importante é o casal fazer acordos de como a família vai seguir, como serão passados os valores de Cristo à próxima geração e como essa família vai ser um sinal do Reino de Deus na terra.

Que Deus abençoe

Lucas Lainetti

Qual é o papel do homem e o da mulher no relacionamento? Parte 5

Organizadora

Antes de clarear o dia ela se levanta, prepara comida para todos os de casa, e dá tarefas as suas servas. Ela avalia um campo e o compra; com o que ganha planta uma vinha. Entrega-se com vontade ao seu trabalho; seus braços são fortes e vigorosos. Administra bem o seu comércio lucrativo, e a sua lâmpada fica acesa durante a noite. (Provérbios 31:15-18)

Confesso que é um tanto difícil “traduzir” algumas coisas do livro de provérbios para os dias de hoje, especialmente quando se trata dessa parte que se refere às mulheres, pois o papel delas mudou muito desde os tempos bíblicos rs. A primeira vez que li provérbios 31 a impressão que me deu foi que essa era a descrição de uma “Amélia” e isso me causou estranheza pois sinceramente é um tanto difícil de encaixar na sociedade atual. Mas depois de algum tempo consegui enxergar uma mulher “moderna” nessas palavras de Lemuel, passei a ler o texto não de forma tão literal mas sim o que ele queria dizer pelo contexto, qual a essência dele.

Uma das características que eu pude enxergar nesses versículos que eu coloquei no inicio do texto é justamente a que mais se encaixa com a mulher moderna, ela organiza as coisas na casa. Já notaram que muitas vezes nós homens vivemos no mundo da lua? Se deixar colocamos uma meia de cada cor pela manhã e nos perdemos no meio de nossa bagunça. A melhor coisa é ter alguém para nos ajudar a nos organizarmos, não é ter uma mãe, mas sim ter alguém que nos ajude a ver nossos pontos cegos e colocar a vida em ordem.

Sábia

Fala com sabedoria e ensina com amor. (Provérbios 31: 26)

Ah a sabedoria, algo que eu gostaria de ter sem medida, creio que logo após a graça, é o melhor presente de Deus. Tanto homens quanto mulheres podem ser igualmente sábios e devem buscar a sabedoria, mas homens tendem a ter um temperamento mais agressivo e explosivo e é justamente aí que complica rs, na família é necessário alguém que ensine com amor e isso é um pouco mais complicado para homens que tem um comportamento mais duro. Sim nós amamos e queremos o melhor para nossa família, mas muitas vezes nos nossos métodos não transparecemos esse amor.

A mulher tem maior facilidade em transmitir palavras de ternura, elas tem uma sensibilidade maior com emoções (homens também tem emoções mas nós não nos importamos hehe), ensinar com amor é um papel fundamental, sentir o clima emocional da família e agir de forma coerente para exortar ou cuidar de todos é algo que é questão de sobrevivência da saúde emocional de todos.

Continua …

Que Deus abençoe
Lucas Lainetti

%d blogueiros gostam disto: