O que faz a gente deixar o Primeiro Amor? Parte Final

3)  A Falta de Cuidado

O que seria a Falta de Cuidado? Seria a falta de cuidado com algumas áreas da nossa vida que podem acabar sufocando a nossa espiritualidade, como está escrito: Lucas 8.7 “Outra caiu no meio dos espinhos; e estes, ao crescerem com ela, a sufocaram”.

Sabe aquela história que cada um tem seu ponto fraco? Alguns a vida financeira não faz nem cócega, mas já outros trabalham, trabalham e trabalham, pois sonham com uma vida financeira bem sucedida, já outros o X da questão está na vida, outros o “problema” está com relação às tentações deste mundo: baladas, passeios e afins.

Não estou falando que tudo isso que citei tem algum problema, o que estou tentando nos lembrar é: I Coríntios 6:12 “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”.

Para que a nossa fé não seja sufocada, precisamos SEMPRE vigiar para que as coisas que não provém de Deus não nos dominem e não nos tire do foco, para que dessa forma não esfriemos e sigamos para o Alvo como está escrito em Filipenses 3:14 “Prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus”

Que Deus abençõe a todos

Com carinho

Júlia

Anúncios

O que faz a gente deixar o Primeiro Amor? Parte 2

2)      A Falta de Profundidade

Ao lermos a parábola do Semeador, nos deparamos com o seguinte versículo: Lucas 8.13 “A que caiu sobre a pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não têm raiz, crêem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam”.

O que podemos tirar desde versículo, em especial da parte não tem raiz? São aquelas pessoas que acham o Evangelho “lindo”, no início estão na maior empolgação, mas por falta dele estar firmado no coração dela, ela acaba se esfriando, desanimando, pois de certa forma esta pessoa vive da comida dada pela boca dos outros, como um passarinho filhote, que quando nasce, sua mãe vai lá mastiga o alimento e entrega pra ele, porém ele cresce e começa a ir atrás do seu próprio alimento. E é isso que devemos fazer! Chega uma hora que nossas orações, o ler a Bíblia, a comunhão com Deus deve ser além dos limites do culto, da igreja. Devemos estar buscando a face de Deus todo o tempo, para não esfriarmos e não sermos surpreendidos em alguma armadilha do mal.

Continua!

Deus abençoe a todos

Júlia

O que faz a gente deixar o Primeiro Amor? Parte 1

Estava lendo alguns artigos falando sobre Primeiro Amor e no site www.orvalho.com me deparei com um artigo que fala de três coisas que fazem com que a gente deixe o Primeiro Amor, vou falar um pouco sobre cada uma.

1)      O Convívio com o Pecado

Veja bem, não falei a prática do pecado, mas sim o convívio. (não que não cometamos pecado, mas estamos sempre à procura da redenção para mudarmos nossas atitudes).

Como está escrito em Mateus 24.12 “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará”. Ou seja, por conviver com a iniqüidade, vendo tais atitudes como corriqueiras, o amor das pessoas se esfriará.

E é isso que acontece conosco, somos bombardeados por coisas imorais por todos os lados que olhamos, desde as conversinhas no corredor do trabalho, aos filmes e novelas que mostram traições, mentiras e etc como coisas “normais” e que todo mundo faz, aos comentários maliciosos, são tantas as que a lista seria infinita.

Não estou dizendo que de fato achamos tudo isso normal, mas é aquela coisa: a gente tolera, depois acostuma, depois acha graça e quando vamos ver, na nossa mente aquilo já está como certo!

Temos que vigiar e orar, pois a queda espiritual não se dá de uma hora pra outra, mas ela vai acontecendo, e quando caímos em si já estamos bem longe de Deus…

Continua!

Deus abençoe a todos

Com Carinho

Júlia

Primeiro Amor

Ao revisar o texto da semana passada uma coisa me veio à mente:

E quando o cristão continua a realizar as suas atividades como orar, ler a Bíblia, participar de ministérios na igreja, dentre outras atividades, mas não tem mais aquela paixão de antes, podemos até dizer que virou uma atividade mecânica, uma coisa religiosa, ou até mesmo que a pessoa se força a realizar tais atividades por MEDO.

Em Apocalipse vemos que Deus já previa que istoia acontecer:

“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”. Apocalipse 2.2-5

Ele sabia que com o tempo o ser humano tenderia a “esfriar” e podemos ver isso em vários exemplos de nossa vida: por exemplo, quando iniciei a faculdade de Psicologia (que ainda faço) eu chegava todo dia em casa e guardava as folhas de fichário na pasta da devida matéria, hoje… hmmm… hoje tá tudo “meio”  bagunçado, eu ainda adoro a faculdade, fé em Deus que vou acabar, mas não tô mais naquele fogo igual no início.

Outro exemplo é a famosa frase a respeito de relacionamentos “O Amor é como uma planta, se a gente não a rega, ela morre”, por quê? Por que com o tempo, as coisas caem na rotina, você não deixa de amar a pessoa, mas aqueles detalhezinhos de levar um presentinho, deixar um bilhete são esquecidos, e quando vemos o casal quase não se olha mais, se já casou, já não tem mais programas de namorados e etc.

E nosso relacionamento com Deus também se encaixa nessas situações, no início tudo é novo, uma descoberta a cada dia, propósitos, orações, estudos, tudo isso para estarmos mais perto de Deus, mas com o tempo a gente se esfria, já está convertido e diminui as atividades, e as poucas que faz acaba fazendo no “automático”.

Claro que às vezes a realidade de quando você se converteu pode ser diferente da de hoje, você não tem tanto tempo livre e etc. Mas que isso não seja suficiente para te afastar de Deus.

Que em nossas orações possamos olhar para trás e ver em que momento nos esfriamos e pedir para que o nosso Pai nos restaure e nos ajude a voltar ao primeiro amor, de tal forma que tudo o que façamos seja com amor, paixão, admiração por Aquele que entregou Sua vida por nós.

Que estejamos a cada momento conscientes deste sacrifício e deste amor tão grande que o Pai tem por nós: Lamentações de Jeremias 3.21 “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança”.

E que desta forma, possamos buscar sempre a presença de Deus para que a cada dia possamos viver por Ele e para Ele.

Que Deus Abençoe a Todos!

Com Carinho

Júlia

%d blogueiros gostam disto: