E se o cristianismo fosse ilegal?

“Lembro-me de ter visto um adesivo que dizia: ‘se o cristianismo fosse ilegal, haveria evidência suficiente para condená-lo?’. Naquela noite eu tive um sonho verdadeiro, e fui convocado à presença de um juiz.

A acusação tinha um caso contra mim. Eles iniciaram oferecendo ao juiz dúzias de fotos onde eu comparecia à igreja, falava em eventos religiosos, participava de orações e louvor. Após, ofertaram como evidência livros religiosos que eu lera, seguidos por CDs religiosos e botons. Aceleraram o passo e revelaram a corte alguns poemas, textos e anotações de diário que eu escrevera sobre fé. Então, para terminar, a acusação torceu a faca que brilhantemente estavam usando na ferida, oferecendo minha bíblia ao juiz. Um livro bem encapado, rabiscado, anotado, cheio de desenhos e todo sublinhado – evidência, se fosse necessário, que eu havia lido e relido este livro sagrado.

Durante a apresentação, eu fiquei sentado, tremendo, com medo, impregnado de suor. Sabia, do fundo do coração, que com aquelas evidências contra mim, prisão, ou mesmo a morte, era uma forte possibilidade. Em muitos momentos, eu estivera, por um fio, a levantar e negar Cristo. Mas enquanto esta ideia me assombrava, resisti a tentação e mantive centrado.

Após a acusação ter encerrado seu caso, o juiz inquiriu-me se havia algo que desejava acrescentar, mas permaneci em silêncio e resoluto, aterrorizado que, caso abrisse minha boca, seria suficientemente fraco para negar as acusações contra mim. Sou, então, levado enquanto o juiz analisa meu caso.

Após cerca de uma hora, sou novamente convocado de volta a sua presença para ouvir o veredito e a minha sentença. O juiz entrou na sala, ficou defronte mim, olhou profundamente nos meus olhos e declarou: ‘das acusações apresentadas eu o declaro inocente’.

‘Inocente’. Meu coração para. Então, numa fração de segundo, meu medo e terror são transformados em confusão e raiva. Apesar de mim mesmo, permaneci à frente do juiz e exigi que explicasse porque era inocente das acusações com todas as evidências apresentadas.

‘Que evidências?’, ele perguntou chochado.

Comecei apontando os vários poemas e as anotações no diário, mas ele simplesmente disse que elas mostravam que eu tinha jeito com as palavras.

Então, falei dos encontros onde discursara, nos cultos que participara e nas conferências que assistira.

Mas novamente ele sorriu simplesmente e disse-me que eram evidências de ser um orador público e com tendências a ator, representando ser o que não era – nada mais. E acrescentou que aquelas bobagens jamais poderiam me condenar.

O sonho termina com ele olhando-me nos olhos, como se informasse de um grande segredo, a muito esquecido: ‘a corte é indiferente as suas leituras bíblicas e idas à igreja; não há preocupações em adorar com a boca e com a caneta. Permaneça desenvolvendo sua teologia e pintando telas de amor. Não temos interesses em artistas igrejeiros que usam seu tempo criando imagens de um mundo melhor. Nós existimos para aqueles que desistem da própria vida de modo semelhante ao de Cristo para criar um mundo como aquele.’ “

Traduzido de How (not) to speak of God, de Peter Rollins, pag 124-5
Extraído de CRER É PENSAR (Via Pr. Julio Soder)

Fonte: Hermes C. Fernandes

Anúncios

Fazendo Mais!

Oi gente! Quanto tempo que não passo por aqui… final de ano é corridopra todo mundo né, mil e uma coisas pra fazer! Por isso reforço o pedido que já fizemos pelo Twitter e pelo Facebook:

Ajudem-nos!!! Precisamos de colaboradores! rs

Temos a intenção de manter o blog atualizado diariamete, e só o Lucas e eu às vezes fica estremamente corrido, por isso que as vezes colocamos textos de blogs parceiros ou de pregadores que admiramos, então se você escreve, tem blog, ou não escreve mas tem vontade, junte-se a nós! Pode até ser texto do seu blog, não tem problema, colocaremos a fonte 😉

Nosso email é: contato@sinaldoreino.com

Mas voltando ao post…

“Pois eu lhes digo a verdade: Muitos profetas e justos desejaram ver o que vocês estão vendo, mas não viram, e ouvir o que vocês estão ouvindo, mas não ouviram.” Mateus 13:17

Nessa passagem da Bíblia, Jesus está falando a respeito das pessoas que tem o coração duro e que por esse motivo acabam não tendo um real relacionamento com Ele como está escrito em um dos versículos anteriores:

“Pois o coração deste povo se tornou insensível; de má vontade ouviram com os seus ouvidos, e fecharam os seus olhos. Se assim não fosse, poderiam ver com os olhos, ouvir com os ouvidos, entender com o coração e converter-se, e eu os curaria’.” Mateus 13:15

E essa passagem me fez pensar um pouquinho a respeito do mundo em que vivemos atualmente. Alguns lugares do mundo completamente evoluídos tecnologicamente, científicamente, e nas mais diversas áreas com novas inovações para melhorarem a vida das pessoas a cada dia, e pessoas com dinheiro comprando destas tecnologias cada vez mais ou simplesmente enchendo seus armários de roupas, sapatos e brinquedos que na realidade não fariam falta, enquanto em outros lugares do mundo as pessoas não tem nem o que comer ou vestir a cada dia, não tem acesso ao saneamento básico, muito menos ao cuidado médico mínimo que uma pessoa deveria ter direito… – nessa época de Natal não tem como não pensar nisso né.

E trazendo para nosso universo cristão, hoje nós brasileiros vivemos num país que tem seus altos e baixos, mas que apesar de tudo temos total liberdade quando se fala em expressão religiosa, podemos ler, escrever, cantar, pregar em qualquer lugar e qualquer hora, não temos nada que nos impeça, enquanto em vários países do mundo as pessoas não tem acesso a uma Bíblia, se quer podem cantar músicas religiosas e seus cultos muitas vezes são em buracos debaixo da terra…

Será que hoje muitos de nós, e eu inclusive, não poderíamos fazer parte do versículo que coloquei acima, será que hoje nós não seríamos as pessoas que Jesus fala que o coração está endurecido? Pois ter acesso as coisas de Deus se tornou tão habitual que caiu na rotina e deixamos de dar o devido valor e deixamos de ser gratos tudo?

E os cristãos dos países perseguidos não seriam as pessoas do versículo que desejaram ver e ouvir o que estamos vendo e ouvindo mas não puderam?

Se só por um instante fechássemos os olhos e nos colocássemos no lugar de um cristão perseguido, que pode ser preso por pregar o Evangelho, que pode ter sua família morta ou ele próprio ser morto por não negar sua fé, será que através disso não pensaríamos um pouco mais sobre quais são os pontos relevantes que devemos levantar a Deus em uma oração? Será que não pensaríamos melhor a respeito do nosso comprometimento com Deus e com o próximo?

Creio que Deus é Maravilhoso de uma forma tamanha que não podemos imaginar e que pela Sua Graça é que somos salvos, por que se depender das nossas atitudes sempre deixaremos algo a desejar, mas isso não nos impede de arregaçar as mangas e tentar fazer mais em nome desse Grande Amor que nos alcançou!

Que Deus abençoe a todos

Júlia

Apocalipse Now!: Cristãos sendo perseguidos e mortos pela fé

Desde pequeno sempre ouvi que no fim dos tempos os cristãos seriam perseguidos e estariam arriscando suas vidas ao confessar sua fé em Jesus Cristo. No entanto descobri que isso não é algo do fim dos dias, é algo que ocorre hoje em muitos lugares do mundo. Para nós que vivemos em um país com liberdade religiosa é bem provável que essa realidade pareça muito distante, mas na verdade é o cotidiano da vida de muitos de nossos irmãos.

Atualmente cerca de 250 milhões de cristãos no mundo sofrem perseguição seja política ou religiosa e cerca de 97% da igreja ignora que isso ocorre no mundo todos os dias.

Inauguramos agora uma sessão no blog chamada “Apoiamos esta causa” e começamos ela com a ONG Portas Abertas que se propões a servir os cristãos perseguidos pelo mundo dando todo suporte e apoio que eles necessitam. Agora eles estão organizando uma petição contra a Resolução de Difamação da Religião que será votada em dezembro pela ONU.

O que é a Resolução da Difamação da Religião?

A resolução foi apresentada e votada de várias formas e sob vários nomes desde 1999. Espera-se que ela seja votada novamente na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas em dezembro de 2010. A primeira campanha da Difamação da Religião realizada pela Organização da Conferência Islâmica (OIC, em inglês), teve como alvo a “Difamação do islã”, mas posteriormente, voltou a ser considerada como “Difamação da Religião” para receber apoio de vários países. Até este ano, o islamismo foi a única fé especificamente mencionada nas resoluções do Conselho dos Direitos Humanos da ONU e que foi aprovada pela Assembléia Geral. Em março de 2010, uma nova versão foi apresentada ao Conselho. Mais uma vez era referente à islamofobia, mas também incluía a menção ao anti-semitismo e cristianofobia e foi votada como lei por uma pequena maioria. Porém, proteger o islã é claramente o foco da resolução.

O que está errado com a Resolução da Difamação da Religião?

A Resolução da Difamação da Religião busca criminalizar palavras ou ações consideradas contra uma religião em particular, nesse caso, o Islã. Embora os proponentes justifiquem que o conceito da “difamação de religiões” proteja a prática religiosa e promova a tolerância, ela, na verdade, promove a intolerância e viola a liberdade de religião e de expressão para as minorias religiosas – especialmente cristãos.
Os direitos humanos são exatamente isso – direitos pertencentes a indivíduos – mas essa resolução procura dar esses direitos a uma religião específica. Ela vai contra a lei dos direitos básicos que existem para proteger os seres humanos, não as crenças religiosas ou os sistemas.
A Resolução da Difamação da Religião tem o poder de dar legitimidade internacional para leis nacionais que punem a blasfêmia ou, por outro lado, proíbem críticas a uma religião. Por exemplo, a lei da blasfêmia em alguns países tem sido usada para justificar ações que restringem seletivamente dissidentes civis, proíbe a critica de estruturas políticas e restringe os discursos religiosos das comunidades de fé minoritárias, afasta membros de crença majoritária e pessoas de fé religiosa. Sob essas leis, acusações criminais foram impostas contra os indivíduos por difamação, insulto, ofensa, afronta e blasfêmia ao islã, que freqüentemente

Confiram o site do Portas Abertas e conheça essa causa, visite o site da campanha Free to Belive para assinar a petição e se você tem um blog divulgue também 😉

Que Deus abençoe

Lucas Lainetti

 

 

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: