Ele ainda me ama

Clipe da música “He still love me” do filme “Fighting Temptations” com Beyoncé, Cuba Gooding Jr. e outros. Muito bom! Indico!

Anúncios

Em seus passos, o que faria Jesus?

No feriado o Lucas e eu assistimos  “Em seus passos, o que faria Jesus?”

Não vou dizer que é o melhor filme do mundo, rs, por que como a maioria dos filmes evangélicos as coisas acabam sendo meio mágicas, você se converte e então tudo da certíssimo, e o final do filme é sempre no estilo “e foram felizes para sempre…” rs.

Mas também nem tudo é 100% ruim, o filme até que é legal e dá pra gente meditar um pouco, a começar pelo título do filme, em minha opinião quando a gente se converte acabamos fazendo isso com mais frequência, pensamos mais antes de tomar atitudes, pensamos se aquilo o que estamos fazendo seria o que Jesus faria, ou se teríamos coragem de fazer se Ele estivesse ao nosso lado. Tem até uma cena do filme em que um dos personagens desiste de algo que ele queria muito, pois da forma que aparece a oportunidade ele acaba percebendo que não é algo que vai fazer bem a ele, mas que pelo contrário, vai acabar afastando ele de Deus, e então uma outra personagem vira pra ele e fala “Seu fanático!!”. E isso me fez pensar que as vezes com medo de ouvirmos esse tipo de comentário acabamos amenizando o Evangelho, acabamos pensando “Ah! mais os tempos são outros, não dá pra ser tão radical.”

E acho que não é bem assim, Jesus veio a esse mundo justamente para nos mostrar que sim, é possível vivermos uma vida agradando a Deus! Não é fácil, mas também não é impossível! E mais, se no meio do caminho, alguém que diz que se importa com você tenta te tirar do foco… bom tenho uma notícia, talvez ela não se importe tanto assim, por que sinceramente, na Bíblia você já encontrou alguma passagem em que nos é pedido alguma coisa que nos é prejudicial? Não né? Por que Deus só nos pede aquilo que irá nos fazer bem ou bem ao próximo, Deus só nos pede aquilo que nos livrará de coisas que podem nos poupar sofrimento!

Nessa parte do filme um dos personagens que está buscando ajuda na cidade fala agumas palavras que creio que se encaixam perfeitamente a vida de cada um de nós:


(a imagem ta horrorosa, mas não achei melhor :/)

E nessa época que está chegando o Natal, surgem as campanhas como a Vida Vale Mais (que colocamos nesse post), e me faz pensar, será que temos feito aquilo que realmente poderíamos fazer pelo próximo? Como diz o pastor da nossa igreja, pra você fazer a obra de Deus você não precisa ser um missionário, não!, o que você precisa é fazer da sua vida uma missão, e tentar salvar o mundo salvando as pessoas que passam pelo seu caminho, seja com uma conversa, um sorriso, um conselho, um alimento…

Com Carinho

Que Deus abençoe a todos

Júlia

Para que serve Deus?

Para que serve Deus? - Philip YanceyNesta segunda (06/09) tivemos o prazer de ir ao lançamento do livro “Para que serve Deus?” de autoria do Philip Yancey e publicado pela editora Mundo Cristão. Vimos uma palestra onde o autor contava um pouco das histórias relatadas no livro (ver vídeo) são ao todo dez histórias distintas ocorridas em diversas partes do mundo.

Para que serve Deus nasceu de uma experiência em Mumbai, enquanto estava na cidade divulgando um de seus livros. Durante sua estada na cidade, terroristas atacaram simultaneamente dez lugares diferentes, hotéis, estações de trem etc. Mais de 160 pessoas foram mortas. É uma experiência que envolve dor e perda e, quando tragédias como essa ocorrem, levam qualquer ser humano a meditar: “Que tipo de conforto é possível oferecer as pessoas?”

Yancey resolveu escrever sobre o tema, pois ele próprio passou pela dor física e emocional ao sofrer um acidente trágico que quase lhe tirou a vida. No acidente, ele quebrou seu pescoço perto de uma artéria. Neste período de sofrimento, aprendeu que somos forçados a parar e nos questionar sobre o que realmente importa em nossas vidas.

Este livro relata histórias de lugares como a China, onde a igreja está crescendo espetacularmente, apesar de ter um governo ateu; ou como o Oriente Médio, onde a outrora vicejante igreja da região central agora mal sobrevive; e ainda como a África do Sul, onde uma igreja multicolorida junta os cacos de seu passado racista. Nos Estados Unidos, o autor visitou não apenas VirginiaTech (escola onde houve o massacre de 32 alunos e professores provocado por um estudante coreano perturbado), e uma convenção de prostitutas (em Green Lake, no estado de Wisconsin, sobre a evangelização de mulheres prostitutas, com a participação de representantes de 45 organizações e trinta países), mas também um grupo de alcoólicos anônimos de Chicago e dois territórios do Cinturão Bíblico do Sul. As cicatrizes do racismo no sul dos Estados Unidos, sem falar na África do Sul, serão curadas algum dia? Uma minoria cristã será capaz de provocar alguma fermentação num ambiente hostil como o da China ou do Oriente Médio? Estas são algumas das questões que o autor se pergunta todas as vezes que assume uma tarefa desafiadora. Apesar disso tudo, continua viajando pelo mundo indagando o que acontece quando a fé sobre a qual escreve numa cabana na montanha enfrenta o mundo real. Ela funciona?

Apenas um terço dos cristãos do mundo é atualmente de ocidentais, e Yancey tem presenciado o “milagre” da reconciliação na África do Sul, o maior ressurgimento numérico de cristãos da História irrompendo sob a repressão do governo chinês e os cristãos indianos voltando sua atenção ao grupo mais excluído do planeta. “Eu escrevo livros para mim mesmo”, diz. “Escrevo livros para resolver questões que me incomodam, questões para as quais não tenho resposta. Meus livros são um processo de exploração e investigação. Então, eu tento resolver diferentes problemas relacionados à fé, coisas relativas a mim, que quero aprender ou que me preocupam”, afirma Yancey.

A pergunta “Para que serve Deus?” ocorre de algum modo a todas as pessoas que passam pela experiência da dor, da morte, da pobreza ou da injustiça — em outras palavras, ocorre a todo mundo.

É uma pergunta aberta cuja resposta Deus investiu em seus seguidores. Seguem a Deus os que foram chamados a mostrar uma fé que tem importância para o mundo que observa. Yancey apresentou relatos de dez lugares onde viu a pergunta respondida — de forma incompleta como sempre acontece quando a resposta é confiada a pessoas comuns, mas de uma forma que seguramente exala a fragrância de esperança e transformação.

Philip Yancey autografando nosso livro

Philip Yancey, com sua esposa ao lado, autografando nosso livro

Na palestra ouvimos alguns detalhes das histórias que estão no livro que realmente tocaram a gente, sobre uma destas, Yancey relatou que na China existiam cerca de 7000 missionários cristãos até que em 1949 Mao Tse Tung expulsou a todos. Yancey teve a oportunidade de entrevistar um senhor de idade que viveu essa época e estava preso há 23 anos por não negar sua fé em Cristo. Também contou sobre sua passagem na Índia onde cristãos estavam construindo escolas para crianças da casta dos intocáveis, onde por 5000 anos ninguém desta casta havia recebido educação formal, ele via o orgulho destas crianças por aprenderem formalmente, algo que antes não acontecia por ninguém lhes darem a oportunidade. Mas o que mais nos marcou mais foi a história de um casal na África do Sul que fazia um trabalho evangelístico em uma prisão (a mais violenta da África do Sul), indo lá todos os dias e após um ano o número de atos de violência reduziu de 272 por ano para apenas 2, o resultado foi tão notável que a BBC de Londres fez um documentário sobre o trabalho deles. Yancey contou também sobre sua visita a esta prisão onde entrevistou os presos que se converteram ao cristianismo e apesar de saberem que nunca sairão de lá, pois estão condenados a três prisões perpétuas consecutivas (não pergunte como isso funciona), se vêem felizes, pois foi nesta situação que conheceram a Cristo.

Enfim, fica a dica de uma excelente leitura, já recebi diversas indicações de livros do Philip Yancey e eu particularmente me identifiquei muito com ele. Em breve espero colocar aqui algum post com impressões do livro depois de lermos

 
 
Philip Yancey - Palestra Para que serve Deus

Philip Yancey (à dir.) no lançamento do livro

Sobre o autor:

Philip D. Yancey formou-se com louvor na Columbia Bible College e obteve dois diplomas de mestrado: um em Comunicação na Escola de Pós-graduação Wheaton College e outro em Língua Inglesa na Universidade de Chicago. Desde 1978, trabalha como colaborador independente. Mais de 600 artigos seus apareceram em 80 publicações diferentes, entre elas Readers Digest, Publishers Weekly, National Wildlife, The Saturday Evening Post, Christian Century e The Reformed Journal. Ao todo, o autor escreveu mais de dezesseis livros, entre eles Decepcionado com Deus e Alma Sobrevivente (Editora Mundo Cristão). Já ganhou da ECPA onze prêmios Gold Medallion e seus livros já venderam cerca de vinte milhões de exemplares em todo o mundo. Atualmente, Yancey e a esposa Janet moram em Evergreen, Colorado.

 

 Veja mais sobre o livro neste vídeo

%d blogueiros gostam disto: