Sinal do Reino

Nesse mês de Dezembro faz oito anos que me converti!! E olhando para trás eu não tenho palavras para agradecer tudo o que Deus já fez em minha vida, a cada dia vejo o cuidado dEle sobre mim e o Seu amor, seja através das pessoas ao meu redor, das oportunidades que aparecem, enfim de tudo o que tem me acontecido e até mesmo que me aconteceu antes da minha conversão. Diante de todas essas lembranças que eu tive ao pensar nesse oito anos, me lembrei do inicio da minha conversão e hoje vou dividir com vocês algumas coisas.

Sempre fui freqüentadora de igreja, da católica por parte da família da minha mãe, aonde fui batizada, fiz primeira comunhão e depois crisma, mas sem nunca levar as coisas muito a sério, e por parte do meu pai sempre ia a igreja evangélica, quando eu era pequena meu irmão teve uma doença grave e foi nessa época que meu pai se converteu, e então nos finais de semana que eu estava com ele (meu pai e minha mãe são separados) eu sempre ia a escolinha da igreja e depois passei a ir ao grupo dos pré adolescentes. Porém daquele jeito também, só levava a sério a igreja quando eu estava devidamente dentro dela depois de uma guerra pra eu acordar no domingo de manhã rs.

Porém, quando eu estava com uns quinze anos meu pai me convidou para ir a um casamento (num sítio e a noiva tinha uns dezenove anos… Familiar a história não? rs), nessa época eu não estava muito amiga dele por que eu queria sair à noite e ele não deixava, eu queria por piercings e fazer tatuagens e ele não deixava, enfim eu queria e ele não deixava… Eu achava ele um chato e o relacionamento ia a trancos e barrancos, mas como no fundo do coração daquela menina chata tinha uma menina romântica eu acabei indo, e através da ida àquele casamento mais coisas do que eu poderia imaginar mudaram em minha vida. (não, eu não conheci o Lucas rs)

Lá eu acabei fazendo amizade com uma menina maravilhosa, que em nenhuma de suas palavras tentou me converter, mas que em todas as suas palavras me mostrou que a vida que ela estava vivendo valia mais a pena do que a minha, por que enquanto eu estava “correndo atrás do vento” (Eclesiastes 2:11) ela “estava juntando o seu tesouro no céu” (Mateus 6:20).

Ufa! Esse foi um trechinho da minha conversão, mas onde eu quero chegar?

Bom… Pra chegar no ponto que eu quero vou contar ter que contar só mais um pouquinho da minha história!

Na igreja que me converti as pessoas adoravam usar esse versículo:

“Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores!” Salmos 1:1

E meio que por causa disso e da lavagem cerebral que faziam através dele eu acabei me afastando de muitos amigos que eu tinha e acabei tirando da minha vida alguns costumes que eu tinha também só por que eles “eram do mundo” ( e nem eram tanto assim rs).

Mas ao longo da minha caminhada eu fui percebendo que muitas coisas do que eu ouvia não condiziam de fato com o que a Bíblia me dizia e cheguei a conclusão que se a menina que foi muito usada durante a minha conversão pensasse assim também talvez hoje eu não estivesse aqui escrevendo este post! (profuuundo rs). Pois este versículo acima nos alerta para não imitarmos a conduta dos que estão longe do Senhor e agirmos como eles e sobre isso tem um versículo que pode explicar melhor do que eu:

“Ouvindo isso, Jesus disse: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes.
Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores”. Mateus 9:12-13

Porém, o mais incrível é que esse pensamento não existia na igreja até oito anos atrás, ainda hoje eu vejo muita gente pensando assim! Vejo muito crentes que vivem praticamente em uma bolha, menosprezando totalmente o que Paulo diz em 1 Coríntios 9:19-23:

“Porque, embora seja livre de todos, fiz-me escravo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas.
Tornei-me judeu para os judeus, a fim de ganhar os judeus. Para os que estão debaixo da lei, tornei-me como se estivesse sujeito à lei, ( embora eu mesmo não esteja debaixo da lei ), a fim de ganhar os que estão debaixo da lei.
Para os que estão sem lei, tornei-me como sem lei ( embora não esteja livre da lei de Deus, mas sim sob a lei de Cristo ), a fim de ganhar os que não têm a lei.
Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns.
Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser co-participante dele.”

Com isso aonde eu quero chegar? Que…

“…Ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.” (Mateus 5:15)

E é isso que Deus quer fazer em nossas vidas, Ele quer que sejamos sal da terra e luz do mundo, Ele quer que sejamos SINAL DO REINO por onde a gente passar. Porém se ficarmos numa bolha e ficarmos com medo ( que nos é colocado pela religiosidade legalista ) de cairmos, de nos afastarmos de Deus e etc por não estarmos só no meio “dos irmãos” dificilmente conseguiremos cumprir esse querer de Deus para nós.

Com carinho

Que Deus abençoe

Júlia

Anúncios

Sobre Júlia Lainetti
:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: