O Perdão

Logo que inauguramos a enquete do blog, comentei com o Lucas que estava com “medo” do que vocês nossos leitores poderiam votar como um assunto que tinham curiosidade.
Foi então que um dia uma amiga conversando comigo no MSN disse que gostaria de ler alguma coisa sobre PERDÃO! Confesso que na hora fiquei com medo, pois é muito fácil falarmos do perdão de Deus sobre nós, mas quando o perdão tem que partir de nós e perdoarmos alguém que nos feriu a coisa muda de figura. Desde então (há umas duas semanas), o Lucas e eu temos feito pesquisas a respeito do assunto… E achei uma história na Bíblia que pode nos ajudar muito com relação a isso:
 
“Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.” Mateus 18:21-35

Acho que se eu só postasse essa passagem já seria mais que suficiente para entedermos o que Deus quer pra nós com relação ao perdão, mas vou falar um pouquinho sobre o assunto.
O que podemos compreender deste texto? Acho que podemos ver bem claro nosso relacionamento com Deus e nosso relacionamento com o próximo. Tínhamos um dívida impagável com Deus por conta do pecado, e Deus como maravilhoso que é, nos perdoou e para que não tivéssemos que pagar por isso, o que foi que Ele fez? Entregou seu Filho amado para morrer em nosso lugar.
Mas por outro lado, perdoados como somos, quando alguém nos fere, fazemos como o homem que teve sua dívida perdoada, queremos que quem pecou contra nós nos pague, “sofra” por aquilo que cometeu. Mas no final da passagem vimos que, se não perdoarmos aquele que nos ofendeu, igualmente Deus não nos perdoará.
 
Sei que essa passagem, assim como outras tantas, é uma daquelas que na teoria é linda, mas na hora de colocar na prática a gente fica pensando “Não é possível, Deus não pode está falando sério… Ele não sabe o que fulano fez!!”, só que como sabemos, as coisas que Deus pede para nós não são negociáveis, e Ele como Pai zeloso que é, não nos pediria nada que fosse para o nosso próprio mal, nem muito menos que não tivéssemos condição de realizar.
 
Uma verdade é que caminho do perdão é necessário se quisermos seguir a Cristo, se nos denominamos cristãos, devemos agir como o Mestre e ao olharmos para Ele vemos que este mais do que ninguém se sentiu traído, pois fora aqueles que amou, que o levaram a morte tão cruel. Mas mesmo assim, enquanto era humilhado, Ele orou por eles pedindo perdão.
Seu principal ensinamento sobre oração tocou justamente nesse ponto: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores” e esse perdão não é apenas da boca pra fora, mas vem direto do coração, pois um coração transformado perdoa.
Todo esse caminho faz parte da nossa trilha no caminho estreito, que é árduo, mas nos conduz a um crescimento profundo e nos leva para o alvo. E isso apenas acontece quando negamos nossa vontade a cada dia e deixamos que Cristo seja o guia e a luz de nossas vidas.
Devemos abrir mão de nosso direito de ter razão sobre tudo e sobre todos para poder deixar que o amor ao próximo seja a nossa verdadeira razão de existir. Mesmo diante de ódio contra nós, humilhação e etc, Cristo nos ensina que devemos abrir mão desses sentimentos, para dar lugar a misericórdia e o amor, pois somente assim chegaremos ao Reino dos Céus.
Para concluir:

“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”
Mateus 6:14-15
 
“Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.” Isaías 43:25
 
“Pois eu sou o Senhor Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo.” Levítico 11:44

Isso foi só um pouco desse assunto que dá tanto pano pra manga, futuramente quero falar mais sobre o assunto! Por tanto, se você tiver alguma contribuição ou dúvida, nos envie 😉

Deus abençoe a todos

Com Carinho

Júlia

Anúncios

Sobre Júlia Lainetti
:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: