Devemos traduzir a mensagem

“Se existem 6 bilhões de pessoas no mundo, Deus tem 6 bilhões de maneiras diferentes de falar com a humanidade”

Pr Ricardo Gondim

O Evangelho é revelado nas coisas simples, isto é um fato constatado simplesmente lendo a Bíblia, Deus sempre tentou falar a língua dos homens de maneira que eles entendessem. Todos conhecem o livro do Gênesis, certo? Ele narra os acontecimentos desde a criação do mundo a criação dos céus, da humanidade e tudo o que existe e foi escrito por Moises. Tá, agora imagine Deus contando para Moises sobre a criação do mundo, mas não do jeito que vemos no livro do Gênesis, imagine Ele falando com Moises assim:

Deus: “No princípio Eu criei o ácido desoxirribonucleico que é um composto orgânico cujas moléculas …”
Moises: “Senhor, desculpe mas .. o que é ácido? E o que é desoxiriboneico?”
Deus: “Desoxirribonucleico, Moises, é um composto que contêm as instruções genéticas…”
Moises: “Gene o que?”

Não ia dar certo, concordam? Simplesmente lendo o Gênesis e encarando em sentido literal pode parecer que Deus falou “Galinha” e do nada “Póóó’!!!” e tinha um bicho com penas ciscando por ai. Eu não creio que tenha sido assim mas não fazia o menor sentido Deus falar um monte de detalhes científicos para Moises.

Por isso eu digo que Deus sempre “traduziu” a mensagem para algo que seus ouvintes entendessem na época. Jesus usava parábolas para explicar os mistérios do Reino de Deus, e de outra forma seriam completamente incompreensíveis para quem O ouvisse. Já repararam que Ele sempre usava histórias do cotidiano de uma pessoa comum da época? Sempre usava figuras da agricultura por exemplo que era uma atividade muito comum para seus ouvintes. Mas eu, por exemplo, nascido na cidade e só vi uma vaca ao vivo aos 22 anos de idade tenho alguma dificuldades para entender algumas sutilezas dessas histórias (até hoje eu nunca vi um joio na minha frente para comparar com o trigo rs).

Ai eu me pergunto, por que alguns cristãos insistem em se apegar à detalhes de linguagem da Bíblia ao invés de tentar extrair os ensinamentos para sua vida, no seu próprio contexto social? Imagine você chegar para uma pessoa que nunca teve contato com uma igreja e dizer: “Você precisa ser salvo”. A primeira coisa que essa pessoa vai te falar (e com razão) é: “Salvo do que????”

Em 1 Coríntios 9:22 Paulo diz: “Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns.”. O que ele fazia era justamente contextualizar a mensagem, Paulo era tido como o apóstolo dos gentios e pregava para todo tipo de pessoas, romanos, gregos, judeus e etc e cada povo tinha seu contexto cultural. Paulo certamente fracassaria em sua missão se tentasse convencer os gregos que Jesus era o messias usando apenas as profecias judaicas pois os gregos não entenderiam nada. Mas ao invés disso ele citava justamente os filósofos gregos e fatos da cultura grega (Atos 17:22-31 para quem tiver curiosidade) e o faz sem alterar a doutrina do evangelho.

Contextualizar significa criar relacionamentos com as pessoas que não creem. Nós temos que entrar em seu mundo e identificar suas lutas, gostos e desgostos. A contextualização começa com um coração partido em favor dos perdidos e um desejo dirigido a ajudá-los a compreender a verdade libertadora de Deus.

Ser “tudo para com todos” não significa se encaixar nos padrões caídos deste mundo de modo que não há mais diferença distinguível entre cristãos e não cristãos. Apesar de vivermos “no mundo”, nós precisamos evitar o extremo da acomodação: ser “do mundo”. Isso acontece quando cristãos, em sua tentativa de fazer um contato apropriado com o mundo, saem do seu caminho para adotar estilos, normas e estratégias mundanas.

Esse é um assunto um tanto grande então vou parar por aqui,a princípio somente queria deixar registrado a importância de entender o próximo para levar Deus a ele, talvez algum dia eu explore mais o assunto.

Referências:

Tchividjian, Tullian; Unfashionable: Making a Difference in the World by Being Different; 2009; Editora Multnomah

Pregação de Mark Driscoll disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=o448vY42JDs

Que Deus abençoe
Lucas Lainetti

Anúncios

Sobre Lucas Lainetti
Cristão teimoso em continuar seguindo Ele apesar da igreja rs, sobrevivente de evangelho pós moderno. Não sou teólogo, nem pastor, também não recebi nenhuma unção especial me tornando acima de alguém. Ás vezes sou um trabalhador ás vezes sou só um cidadão, ora amigo na alegria ora irmão na angústia, marido sempre feliz e orgulhoso da esposa. Mas em todo o tempo eu sou cristão tentando ser um sinal do reino fora do templo

One Response to Devemos traduzir a mensagem

  1. Erica says:

    Vim retribuir a visita!Obrigada por ter relacionado o seu blog ao meu,já relacionei o seu também,que por sinal é muito legal.
    A paz!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: